quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Selo Social

Existe uma lei sancionada no governo do então presidente Itamar Franco que dá o direito, a qualquer cidadão, de encaminhar, via Correios, até cinco cartas simples por dia, pelo valor simbólico de R$ 0,01. A carta deve ser endereçada de uma pessoa física para outra, ter peso de até dez gramas, ser escrita a mão e, no envelope, ao lado do destinatário, deve-se escrever Carta Social. O difícil é encontrar o tal selo em qualquer agência dos Correios. Quem mais sofre são pessoas carentes (sem computador) e sem dinheiro para se pagar uma postagem de uma carta que, diga de passagem, está caríssima. Cadê os selo? Que fim levou? Foto: Firmino Caetano Junior. Recife-PE

Um comentário:

  1. A Carta Social é um serviço prestado pelos Correios com o objetivo de facilitar o acesso da população aos serviços postais, regulamentado pela Portaria nº 469, de 16 de novembro de 2012, do Ministério das Comunicações. O serviço está disponível em todo o território nacional e é voltado a pessoas físicas participantes do Programa Bolsa Família ou seu(s) dependente(s). E, ainda, pessoa presa, brasileira ou estrangeira, custodiada em qualquer parte do território nacional. O franqueamento da Carta Social deverá ser realizado por meio de selo específico para o serviço e a postagem deverá ser efetuada, exclusivamente, nos guichês das Agências de Correios. Este selo é vendido somente no ato da postagem, em razão da verificação das características necessárias para uso do serviço. Atenciosamente, Thiara Souza de Andrade. ANALISTA DE CORREIOS JR - JORNALISTA. (61) 2141-7008/400-7008

    ResponderExcluir