Romário, se não pagar a Dunga, vai ter bens confiscados

A queda de braço judicial entre Romário e Dunga chegou ao fim. E o ex-técnico da seleção brasileira levou a melhor. O senador cobrava R$ 500 mil por danos morais que considerou ter sofrido por representações feitas por Dunga no Senado e no Supremo Tribunal Federal. Em vez de indenização, Romário tem agora 15 dias para pagar R$ 93.255,66 a Dunga e seu advogado, Diogo Souza. Em abril de 2016, o ex-jogador e técnico da seleção brasileira Dunga e o ex-goleiro Gilmar Rinaldi entraram com uma representação contra Romário no Conselho de Ética do Senado e uma queira-crime no STF por ofensas. Ambos os procedimentos foram arquivados por conta da imunidade parlamentar. Romário, então, partiu para o ataque, cobrando de Dunga R$ 500 mil  por damos morais em função das medidas no Senado e no STF. O ex-atacante  acabou derrotado em todas as instâncias e foi intimado no último dia 19, a, ao invés de receber, pagar o total de R$ 93.255,66 relativos  a 1% da causa destinada a Dunga e 16% de honorários do advogado do ex-treinador. Se não quitar em 15 dias, Romário será multado em 10% do valor e, prosseguindo o descumprimento da decisão, é possível penhora de bens. A decisão não cabe mais recursos. Fonte: Portal o Globo.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário